Por que a colposcopia é tão importante?

A colposcopia é um exame ginecológico indicado para a detecção do câncer de colo do útero e lesões relacionadas ao Papilomavírus Humano (HPV). Em geral, o exame é solicitado pelo ginecologista para pacientes que tiveram alterações verificadas no resultado do Papanicolau, como forma complementar para a confirmação do diagnóstico, podendo ser, inclusive, feita a biópsia durante o procedimento.

Caso você precise realizar o exame, não há motivo de preocupação, já que se trata de um procedimento indolor, que pode apenas causar um leve incômodo ou sensação de ardência no momento da aplicação de produtos que auxiliam o médico a ter melhor visão da vulva, do colo do útero e da vagina. O exame é simples, leva em torno de 10 minutos e permite ao ginecologista ter uma avaliação detalhada da região para poder determinar o melhor tratamento de acordo com cada caso.

Entenda para que serve a colposcopia, para quem é indicada e as recomendações para antes e depois de realizar o exame.

Para que serve a colposcopia?​​​

A colposcopia serve para oferecer ao ginecologista um diagnóstico confirmatório de alguma suspeita de doença, devido a alterações no exame do Papanicolau. Por ser um exame mais preciso e que permite ter uma visão ampliada da região, o procedimento é muito usado na prevenção de doenças graves que comprometem o aparelho reprodutor feminino.​​ Vale lembrar que a colposcopia não substitui o Papanicolau, que deve ser feito ao menos uma vez ao ano.

Saiba para que situações a colposcopia é indicada:

– Verrugas genitais;

– Sangramento durante a relação sexual;

– Inflamação do colo do útero;

– Tumores benignos (pólipos);

– Suspeita de câncer no colo do útero, vagina ou vulva;

– Alterações no exame Papanicolau.

Quando é indicada a colposcopia e como ela é feita?

A colposcopia pode ser indicada em duas situações: para que o médico possa ter uma avaliação mais aprofundada e detalhada da região ou quando a mulher apresenta alterações celulares suspeitas ou com indícios de lesões causadas pelo HPV.

Para realizar o exame, o ginecologista utiliza um aparelho com sistema de lentes de aumento – o chamado colposcópio, e líquidos (ácido acético e iodo) que, ao entrarem em contato com a mucosa, são capazes de identificar manchas que podem sinalizar a existência de alterações no colo do útero e nas paredes vaginais.

Durante o exame, é possível extrair pequenas amostras de tecidos do colo do útero para uma análise laboratorial mais aprofundada, por meio da biópsia.

Recomendações antes de realizar a colposcopia

Para realizar a colposcopia é preciso que a paciente esteja fora do período menstrual e que não tenha tido relações sexuais nas 48 horas anteriores ao dia do exame, mesmo com o uso de preservativos. O procedimento pode ser realizado também por gestantes, sem nenhum dano para o bebê.

A restrição ocorre para mulheres que fazem uso de anticoagulantes, que precisam interromper o medicamento por alguns dias antes da realização do exame, para evitar o risco de hemorragia.

Lembre-se: os exames preventivos são muito importantes para identificar doenças em seus estágios iniciais, aumentando, assim, as chances de sucesso no tratamento e de cura. Por isso, mantenha a consulta com o ginecologista em dia e nunca deixe de realizar todos os exames solicitados por ele.